Não somos Mestres, nem Os procuramos

Somos Mestres de nós mesmos...

Não somos Mestres, nem Os procuramos

Sabemos existirem Mestres, seres de evolução moral avançada, mas é difícil para um “não iniciado” distinguí-los.

Certo é que os falsos mestres abundam e só há um meio de evitá-los: “não tê-los”. Um falso mestre pode causar enormes danos na senda de um indivíduo bem intencionado, fazendo-o desviar longamente do “caminho”.

Somos Mestres de nós mesmos. Usamos a inquestionável confiabilidade da intuição, por meio de nossa Mônada, nosso Espírito verdadeiro, nosso “Eu Superior” que, a despeito de ainda coletivo, está em contato com os níveis supra-dimensionais, numa escada infinita, rumo à Fonte, onde não existe tempo, nem espaço e nenhum dos sentimentos degradantes e deletérios das dimensões inferiores.

A seu tempo, com a iluminação e a libertação do nosso “Eu”, os contatos com as verdadeiras Entidades Superiores ocorrerão naturalmente.